• Psicose - Robert Bloch | Resenha | Blog #tas

     Resenha: Psicose, Robert Bloch

    A obra Psicose de Robert Bloch é uma leitura obrigatória aos amantes do filme de Alfred Hitchcock. Lançado em 1959, o livro que inspirou o filme, contém detalhes e fatos que não puderam ser explorados no cinema. Entenda porque Mr. Hitchcock correu nu ao ler a obra, e apostou tudo que tinha para produzi-lo.





    Para saber mais, acesse o link:


    Norman Bates é um homem de meia idade, careca, amante do ocultismo, da Taxidermia, é gerente de um motel e, claro, muito ligado a sua mãe Norma. Já no primeiro capítulo, o público é apresentado a desconfortável relação entre os dois. O monólogo de Mr. Bates enfatiza o perfil tirano de sua mãe em relação a ele, e as táticas que ele utiliza para não agravar tal situação.



    Logo em seguida o público conhece Mary Crane, uma ex funcionária de uma casa imobiliária que rouba quarenta mil dólares do seu chefe para quitar as dívidas de seu noivo, Sam. Seu maior sonho era se casar e não queria esperar até seu noivo melhorar financeiramente. Um ato ilícito tentando ser justificado pelo amor.

    Na tentativa de encontrar com Sam, Mary tenta deixar o mínimo de rastros de sua fuga, ela pega a estrada e troca de carro três vezes. No meio do caminho ela se perde e acaba avistando o Motel Bates. Devido forte chuva e já estar de noite, ela resolve pernoitar no motel para descansar, e no dia seguinte dar continuidade a viagem. Porém, o rumo de sua vida foi mudado de forma drástica.



    Lila Crane é notificada do roubo e desaparecimento de sua irmã, Mary Crane. Diante dos fatos incompletos, ela decide ir atrás da irmã e fazê-la enxergar a grande besteira que cometeu, então vai ao encontro de Sam na esperança de encontra-los juntos. Ao chegar outra surpresa chocante, o noivo não tinha notícias de Mary. A partir daí é iniciada a odisseia para desvendar o desaparecimento de Mrs. Crane. Lila, Sam e um detetive particular se unem para montarem o quebra-cabeça, mas as peças possuem verdades horrendas e apavorantes.



    Psicose é inspirado no lendário assassino Ed Gein, preso em 1957. O seu caso chocou a sociedade da época. Inclusive Ed é mencionado no livro.

    Para saber mais, acesse o link:


    Norman Bates: Canal do Youtube lança série de cinco vídeos sobre o assassino mais famoso do cinema.

    Aqui no Brasil tivemos apenas dois lançamentos do livro, em 1959 e 1964, depois disso não houve nenhuma edição. Após 50 anos, a editora DarkSide lançou em julho de 2013 essa obra prima que merece ser apreciada.

    Para saber mais, acesse o link:




    Alfred Hitchcok no decorrer de sua busca pelo roteiro do filme que o consagrasse, se deparou com o livro, e não pensou duas vezes em produzi-lo após sua leitura. Para garantir o sigilo total de sua nova produção, ele comprou anonimamente os direitos autorais e todas as cópias dos livros disponíveis no mercado, e os trancou num galpão próximo a sua casa. Resumo, sucesso de bilheteria.



    Não é possível dizer que o livro é melhor que o filme, ou vice-versa. Ambos possuem sua identidades e acabam sendo o complemento um do outro. A única certeza é que Mr. Bloch proporcionou ao público conhecer a história de Norman Bates, e todos acabam partilhando do mesmo pensamento de Lila Crane:

    “[...] Ele deve ter sofrido mais do que qualquer um de nós. De certa maneira, eu quase posso entender.  Nós não somos tão lúcidos quanto fingimos ser.[..]”
    E você concorda com a Lila?




    Ficha Técnica:
    Título: Psicose
    Autor: Robert Bloch
    Editora: DarkSide
    Ano: 2013




    O livro Ganhou: 
    5 de 5 medalhas #tas
    (5/5 medalhas #tas)


    Se gostaram do artigo compartilhe em suas redes sociais.

    Comente o que achou do livro.

    Até o próximo post.

    Dandy Souza.

  • Leia Também

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário