King Cobra (2016) | Resenha | Blog #tas

Capa - Resenha | King Cobra (2016) | Blog #tas

A história de um crime nos bastidores da indústria pornô gay.



Quando se trata de fazer um trabalho cinematográfico baseado em fatos reais, é necessário ter um cuidado, e foco, do que  se pretende contar. Principalmente uma adaptação, cuja triagem de fatos é feita para a compreensão daqueles que não tiveram ciência do caso que será apresentado. Esta foi a principal proposta de King Cobra (2016).

O longa possui uma fotografia bastante atraente e conta com um elenco diversificado e de rostos conhecidos como: James Franco (Spring Breakers), Christian Slater (Rede de Intrigas), Garret Clayton (Teen Beach Movie), Keegan Allen (Pretty Little Liars), Alicia Silverstone (As Patricinhas de Beverly Hills) e Molly Ringwald (Clube dos Cinco).




Atenção! O conteúdo abaixo contém spoilers

Do que se trata?

O longa irá contar a história de Sean (Garrett Clayton), um rapaz que sonha em trabalhar na indústria do cinema, e de Stephen (Christian Slaiter), dono de uma produtora de vídeos pornô gay –Cobra Videos. Ao se conhecerem, o rapaz recebe a proposta de receber U$ 1.000,00 dólares por cada vídeo produzido e moraria na residência do produtor (também set de gravações), além de usar o pseudônimo Brent Corrigan. Sean aceita e avisa sua mãe que estaria estagiando numa produtora de cinema e que passaria uma temporada fora de casa.

Paralelamente, o público é apresentado ao casal Joe (James Franco) e Harlow (Keegan Allen). Dois garotos de programas e donos de uma produtora chamada Viper Boyz –Concorrente da Cobra Videos. Apesar da parceria dos negócios, os dois vivem uma relação conturbada. Joe torna-se bastante agressivo em certos momentos, quando acredita que sua relação está sendo ameaçada, movido por ciúmes à seu companheiro.

Os vídeos da produtora Cobra Videos com Sean, a.k.a Brent Corrigan, estão rendendo lucros extraordinários. Porém o jovem percebe que seu cachê está inferior a receita mensal da produtora, além de descobrir uma paixão doentia que Stephen nutria por ele. Tal situação faz com que Sean corte relações e tente a carreira solo, mas encontra dificuldades de novos contratos por não poder usar o pseudônimo –Patenteado pela Cobra Videos. Caso desrespeitasse tal restrição, iria ser processado.

Os donos da Viper Boyz, Joe e Harlow, ao tomarem conhecimento do rompimento de Sean com a Cobra Videos, resolvem entrar em contato com o rapaz. Eles oferecem U$ 25.000,00 dólares por cada vídeo produzido, porém ele deveria usar o pseudônimo proibido. O rapaz aceita após ser convencido de que seria feita uma proposta entre a Cobra Videos e Viper Boyz. O que terminou em fatalidade.




O que esperar?

Um dos elementos de maior destaque do longa são as atuações. Os veteranos Christian Slater e James Franco, encarnam de corpo e alma os personagens –Os múltiplos sentimentos são passados pelo olhar e envolvem o público de forma natural. Garret Clayton e Keegan Allen não deixam a desejar em suas performances, seus esforços são perceptíveis e bastante satisfatório. As aparições de Alicia Silverstone (mãe de Sean) e Molly Ringwald (irmã de Stephen) são muito rápidas, os poucos minutos de suas personagens levam a crer que serviu para matar as saudades dos fãs das duas que tiveram papéis marcantes do cinema – Cher Horowitz (As Patricinhas de Beverly Hills) e Clair Standish (Clube dos cinco), respectivamente.

O filme é baseado no livro Cobra Killer: Gay Porn. Apesar de elementos positivos que permitiriam um filme marcante, infelizmente não souberam contá-lo. Além dos fatos estarem sendo apresentados aleatoriamente, seus desfechos deixavam a sensação de que faltava algo mais a ser contado. Não permitindo a superação das expectativas quanto ao enredo proposto.

Não podemos dizer também que tal desvio tenha sido ocasionado pelo foco nas cenas de nudez, o que quase não há. O que o público encontrará serão menções das cenas das gravações da produtora Cobra Videos, presentes no enredo. É perceptível que houve um cuidado na inserção de tal elemento e o máximo que encontraremos são duas cenas muito rápida do protagonista sem roupas.

Talvez a edição que o filme tenha sofrido, para disponibilizá-lo aos cinemas, tenha sido um fator contribuinte para a sensação de falta de foco. Apesar de não ser o melhor filme de todos, King Cobra cumpre com seu papel.

Trailer Original:




Ficha Técnica:
Original: King Cobra
Direção: Justin Kelly
Elenco: Garrett Clayton, Christian Slater, Keegan Allen,
 James Franco, Alicia Silverstone e Molly Ringwald.
País: E.U.A
Ano: 2016

O filme ganhou:
3 de 5 medalhas #tas
(3/5 medalhas #tas)


Gostaria de saber sua opinião. O que você achou de King Cobra? Você identificou outros elementos no filme? Deixe seu comentário.

Se você gostou desse artigo, compartilhe com seus parentes e amigos. Ajude aumentar a interação de todos que viram o King Cobra.

Até o próximo post.

P.s: O filme está disponível no catálogo da Netflix.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.