Alien: Covenant (2017) | Ridley Scott e sua Polêmica Ousadia – parte 02 | Blog #tas


Capa | Tripulação completa da nave covenant | Blog #tas


Alien: Covenant chegou, chegando. Avisa lá. Pode falar que ele chegou com tudo porque ninguém vai estragar seu dia.




No post anterior vimos que os primórdios da polêmica de Prometheus(2012) foram devido:

-Ridley Scott ter negado sua ligação com Alien (1979) e depois foi comprovado o contrário;
-A apresentação superficial dos Engenheiros - supostos criadores dos seres humanos e do Alien;
-E a apresentação do facehugger e do proto-alien sem explicações.
Após tais polêmicas, os #XenomorfosLovers estavam no aguardo de respostas. E após 05 anos de espera é lançado Alien: Covenant que segundo titio Scott, em entrevista, o filme seria uma continuação de Prometheus, mas ligado diretamente ao Alien: o 8° Passageiro.

Para saber mais, Clique no link abaixo:

Alien: Covenant | Ridley Scott pede desculpas aos fãs por Prometheus

Depois dos fatos apresentados e diante de tal promessa, será que titio Scott cumpriu com o que prometeu?

Então segura essa pergunta que vamos respondê-la juntos, mas antes vamos analisar detalhadamente Alien: Covenant.

Novamente lembro a você que os fatos aqui mencionados está repleto de spoilers. Então se você ainda não viu e quiser continuar, por favor, que seja por sua conta e risco. Tá bom?

Sem mais delongas. #PartiuAnálise


Tripulante minutos antes de ser vítima do Neomorfo | blog #tas
(Carmen Ejogo e Amy Seimetz | Alien: Covenant)


#Alien: Covenant (2017) - Review

O filme inicia com uma conversa entre Peter Wilow (Guy Pearce) e David (Michael Fassebender) sobre criador e criatura. O diálogo serve como um gatilho mental para lembrarmos a característica independente e o perfil contestador presentes no Androide desde momento de sua criação – desde já ele demonstra que não é obrigado a nada. Desculpa aê!


Cena - Diálogo de Peter Wilow e David | Blog #tas
(Guy Pearce e Michael Fassbender | Alien:Covenant)


Anos se passaram e somos direcionados para nave Covenant. Ela está realizando um transporte de 2.000 colonos e vários embriões para o planeta Origae-6. A missão é formada por 15 tripulantes: 14 humanos, formado por 07 casais, e 01 androide, Walter (Michael Fassbender)- com a fisionomia semelhante a de David.

Os tripulantes estavam programados para dormir até destino final. Porém a nave sofre um impacto que danifica sua estrutura e precisa ser reparada. Sendo assim, os tripulantes são acordados automaticamente, exceto um, o capitão Jacob Branson (James Franco), que morre. Ele era casado com Daniels (Katherine Waterston). Diante de tal tragédia o posto de capitão passa para Christopher Ober (Billy Crudup) – afinal como dizem: vida que segue.

O reparo da nave é realizado e somos apresentado ao clima organizacional da equipe. Percebemos que o posto assumido por Christopher não é visto com bons olhos pelos demais. A falta de liderança em seu perfil torna-se algo desconfortável, principalmente à Christopher que se vê na obrigação de mostrar quem realmente manda ali – o emocional afetando o profissional. Tsc, tsc, tsc.

Inesperadamente a nave recebe um sinal e o mesmo é verificado, conforme os protocolos da missão. Após rastreá-lo é identificado que o sinal veio de um planeta que estava no meio da rota e para surpresa de todos, as características são bastante semelhantes ao da terra. A descoberta desperta a ideia, da maioria dos tripulantes, em mudar seu destino para este planeta – tudo porque eles não tinham maturidade suficiente para esperar sete anos até chegar ao planeta destino. Que tal?

Tal solicitação é vista como oportunidade do capitão Christopher em conquistar a tripulação e decide efetuar a mudança de rota. Daniels expõe a quebra do protocolo científico, uma vez que o planeta Origae-6 foi estudado por dez anos para efetuar o processo de colonização e não poderia ser mudada assim, de uma hora para outra. Não preciso nem dizer qual foi a decisão do capitão né? Já sabe: Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Sendo assim, uma equipe fica em Covenant e uma outra é enviada ao planeta de onde veio o sinal, para efetuarem a verificação antes de mudarem a rota.


Cena - Daniels e o capitão Christopher Ober conversando sobre o desvio da missão | Blog #tas
(Katherine Waterston e Billy Crudup | Alien: Covenant)


Ao entrarem na atmosfera do planeta desconhecido, a nave enviada passa por uma tempestade e sua estrutura externa sofre leves danificações, mas consegue aterrissar sem dificuldades. E comprovam realmente que as características do planeta são bastante semelhantes com as da Terra.


Cena - da paisagem do novo planeta | Blog #tas
(Ecossistema do planeta que será explorado semelhante com a terra | Alien: Covenant)


O grupo é dividido em três equipes: 01 para efetuar o reparo na aeronave, 02 para explorar o ecossistema e os demais para investigar a origem do sinal. O planeta apesar de ser semelhante a Terra, possui algumas peculiaridades. Uma deles é a presença de uma espécie de ovos que possui características semelhantes ao cocô de cavalo e ao ser pisado, solta uma espécie de pólen de cor preta. Dois dos tripulantes pisam nos ovos desconhecidos e o tal pólen entram em seus sistemas da seguinte forma:

-pelo ouvido do tripulante que estava explorando o ecossistema;
-e pela nariz do tripulante que estava com a equipe explorando a origem do sinal.


Cena - pólen entrando pelo ouvido do tripulante | Blog #tas
(Pólen entrando no ouvido do tripulante | Alien: Covenant)


Você já sabe que quando algo começa errado, a tendência é que tudo dê errado. Como diz Jigsaw: que comecem os jogos.

Os tripulantes que estavam atrás da origem do sinal, encontram a nave dos engenheiros e entram para investiga-la. Aparentemente ela está abandonada, mas Daniels encontra a corrente de identificação de Elizabeth Shaw (Noomi Rapace) – então já sabemos que é a mesma nave que a dra. Shaw e o androide David assumiram no final de Prometheus. Só nos resta saber onde eles estão.


Cena - Daniels encontrou a corrente de identificação de Elizabeth Shaw na nave dos Engenehiros | Blog #tas
(Katherine Waterston cena dentro da nave dos Engenheiros | Alien: Covenant)


Como nada no universo Alien reina a paz por muito tempo, então vamos começar os trabalhos.

O tripulante que estava explorando o ecossistema começa a passar mal e a doutora que o estava acompanhando sinaliza a todos, e volta até a aeronave para realizar o atendimento médico. Porém uma criatura sai de dentro dele pelas costas e ataca a doutora, trata-se de um Backhugger – o primeiro estágio do Neomorfo, uma espécie de Xenormofo albino. A outra tripulante reforça o pedido à equipe e tenta salvar a doutora, mas o plano deu errado e a aeronave explode e, como era esperado, a criatura consegue escapar.


Cena - explosão da nave de exploração | Blog #tas
(Nave de exploração explodindo | Alien:Covenant)


Os demais tripulantes infelizmente não chegam a tempo e de quebra o outro Backbuster sai de outro tripulante – aquele que inalou o pólen desconhecido. Em questão de minutos, as duas criaturas aumentam de tamanho e começam a atacá-los. Quando tudo parecia estar perdido, alguém os salva. Elizabeth Shaw? Não, mas sim David – Ah tá!

Atordoados os tripulantes aceitam a proposta de abrigo do androide rebelde de Prometheus e são levados até uma fortaleza um tanto quanto bizarra.


Cena - Entrada bizarra da fortaleza que pertencia aos Engenheiros | Blog #tas
(Entrada da fortaleza que pertencia aos Engenheiros | Alien: Covenant)


Todos ficam admirados com a grande semelhança entre David e Walter. Isso se deve pelo fato dos dois fazerem parte da mesma matriz de fabricação. Porém ambos possuem diferenças bastante consideráveis. David é um protótipo antigo que possui a capacidade de criar e ser independente. Já Walter apesar de ser um protótipo avançado é limitado e desenvolvido apenas para obedecer. A diferença entre os dois é muito bem explorada na cena da flauta que é recheada de conceitos científicos e filosóficos para percebermos como tais conceitos são processados por ambos.

O período que os sobreviventes estão na fortaleza é o momento repleto de tensão. Além dos tripulantes tentarem comunicação sem sucesso com a nave Covenant, descobrimos que o planeta em que estão, pertencia ao Engenheiros. Porém a espécie foi dizimada e teve seu ecossistema alterado após David e Elizabeth Shaw despejarem o óleo orgânico preto ao chegarem – substância essa descoberta em Prometheus. Daí a explicação da origem da espécie do Neomorfo – o alien albino. Como nada nessa vida são flores, descobrimos que a dra. Shaw, morreu – sim, eu também não tive maturidade suficiente para aceitar tal morte. #R.I.P. Elizabeth Shaw.


Cena - David despejando o óleo orgânico preto no planeta dos Engenheiros | Blog #tas
(David despejando  óleo orgânico preto nos Engenheiros | Alien: Covenant)


Após uma rápida pausa para reflexões, chega o momento da carnificina na trama. O Neomorfo já crescido entra na fortaleza e decapita uma das tripulantes. David chega no momento que a criatura estava se alimentando da carcaça. O androide observa e contempla o Neomorfo e tenta contato com o mesmo, mas é interrompido pelo capitão Christopher que consegue eliminá-lo e exige explicações.


Cena - Neomorfo comendo uma das vítimas na fortaleza | Blog #tas
(Neomorfo comendo uma das vítimas | Alien: Covenant)

David está se predispõe a revelar tudo e pede que o capitão o acompanhe. O androide rebelde mostra todos os seus experimentos realizados e em seguida leva o capitão até uma sala cheia de ovos de Facehugger, o capitão é atacado por um deles, morre e vemos a aparição de nosso primeiro Xenomorfo na forma de Chestbuster.


Cena - Capitão Christopher na frente de um ovo do facehugger | Blog #tas
(Billy Crudup e Miachel Fassbender | Alien: Covenant)


Os demais sobreviventes que estão na fortaleza finalmente conseguem contato com a nave Covenant que decide arriscar o carregamento biológico para tentar resgatá-los. Após acertarem os detalhes do resgate, os tripulantes vão à procura do capitão e, não demora muito, encontram os corpos das vítimas. David desativa Walter para evitar interrupções em seu plano de realizar seus experimentos.

Daniels descobre a sala com o projetos de David, o androide maldito, e encontra o corpo de Elizabeth Shaw embalsamado. Porém ela é surpreendia por David que revela seus motivos em matar a dra. Shaw – aperfeiçoar o Facehugger. Após sua confissão, o androide maldito tenta matar Daniels, mas é impedido por Walter que, por ser um projeto mais avançado, não é desativado pelas formas tradicionais. Então é iniciada uma batalha entre os dois androides – uma briga de titãs, ninguém se mete!

Enquanto isso, a nave Covenant consegue chegar até a fortaleza para resgatar os sobreviventes: Daniels e outro tripulante que está ferido. Os dois conseguem embarcar a tempo e Walter é o último. Quando eles pensavam que estavam saindo do inferno, descobrem que o Xenormorfo, já crescido, está na parte externa da aeronave para tentar derrubar a nave. Após uma batalha difícil, mas não impossível, Daniels consegue derrotar o Alien.


Cena - Xenomorfo na parte externa da espaçonave | Blog #tas
(Xenomorfo atacando a espaçonave Covenant | Alien: Covenant)


De volta ao espaço, Daniels é nomeada a nova capitã da missão Covenant e a rota é retomada. Okay, todos foram embora e a colonização é um sucesso – #SQN. Descobrem que há um Xenomorfo dentro da aeronave. A criatura foi trazida pelo último sobrevivente do planeta. Então mais uma caçada é iniciada. Após uma sequência de cenas claustrofóbicas e repletas de sangue, finalmente os humanos vencem – afinal todos precisam respirar um pouco.


Cena - Daniels procurando o Xenomorfo na espaçonave | Blog #tas
(Katherine Waterston | Alien: Covenant)


Tudo estava sob controle, os poucos sobreviventes verificam as últimas coordenadas e são direcionados às capsula de hibernação. Daniels é auxiliada por Walter até seu equipamento, porém ao solicitar que o androide a ajude a construir sua cabana em Origae-6 descobre que na realidade Walter é David.  E o que acontece? O androide maldito coloca dois embriões do Xenomorfo entre os embriões humanos e prossegue para Origae-6.

#Analisando Alien: Covenant

Chegou a hora de eu e você analisarmos os detalhes presentes em Alien: Covenant. Pegue suas anotações e vamos lá!

Eu gosto de dizer que qualquer obra sempre é melhor aproveitada quando estamos atentos aos detalhes. E com Alien: Covenant não foi diferente. Vamos ver se identificamos os mesmo elementos?

Nossa análise terá como referência a declaração de Ridley Scott sobre o longa, onde ele disse:

Alien: Covenant será uma continuação de Prometheus, mas estará diretamente ligado ao Alien: o 8° passageiro.

Será que foi? Vamos descobrir agora.


Cena - Daniels e Christopher fazendo cobertura um para outro | Blog #tas
(Katherine Waterston e Billy Crudup - fazendo cobertura | Alien: Covenant)


Vamos começar com a primeira oração: “Alien: Covenant será uma continuação de Prometeus”.

Sim, ele foi uma continuação de Prometheus. Nele descobrimos que Elizabeth Shaw e David conseguiram chegar ao planeta do Engenheiros. Além de impedirem que a terra fosse atacada, conseguiram dizimar os Engenheiros e alteraram todo o ecossistema do planeta, ao despejar o óleo orgânico preto sobre o planeta – É isso que chamo de provar do mesmo veneno.

Outro detalhe importante reforçado é o perfil de David que além de possuir uma perfil independente, tinha uma busca incessante em criar para ter o poder do controle em suas mãos.


Cena - David olhando a paisagem pela janela enquanto ouve Peter Wilow | Blog #tas
(Michael Fassbender | Alien: Covenant)


Finalizada a primeira etapa, vamos passar para a segunda oração que diz: “estará diretamente ligado ao Alien: o 8° Passageiro”.

Sim, houve não só ligação direta como referências. Vejamos as principais delas:

a)Referências:

-O nome do sistema controlador da nave Covenant é igual a de Nostromos (1979), ambos são chamados de “Mãe”;
-A identificação do sinal no meio do espaço e a interrupção de sua missão para verifica-lo;
-O protocolo científico sendo quebrado por questões emocionais da tripulação – Inclusive um erro os tripulantes serem formados por casais, o que aumenta as chances do racional ser afetado pelo emocional.
-A preservação do Xenomorfo, assim como Neomorfo, por David em nome do avanço da ciência, semelhante ao andróide Ash (Iam Holm) em Alien: o 8° passageiro;
-A perseguição ao Xenomorfo dentro da nave Covenant naquele clima claustrofóbico. Apesar de ter sido nos 15 minutos finais do filme, tivemos esse resgate do longa de 1979.


Cena - ovo do facehugger aberto | Blog #tas
(Ovo de Facehugger aberto | Alien: Covenant)


b)Ligações:

-A principal delas é explicação do aperfeiçoamento até chegar a espécie do Facehugger e do Xenomorfo que estamos acostumados a ver. Apesar da maioria achar que David é o criador, não foi isso o que aconteceu. Se ativarmos a memória, veremos que em Prometheus havia uma outra espécie de Facehugger que virava um Proto-Alien. Então fique atentos aos detalhes.


Cena - Daniels olhando a explosão da espaçonave de exploração | Blog #tas
(Katherine Waterston - em cena | Alien : Covenant)


#Ridley Scott cumpriu com o que prometeu?

Sim, ele cumpriu com o prometido. Apesar de ter mexido num território em que existem fãs fervorosos que são bastante tradicionais – o que é um direitos deles  titio Scott explicou e conectou as histórias.

Claro que que houve fatores que geraram alguns questionamentos bastante consideráveis, como: os fatos terem sido apresentados rápidos demais e a equipe não usar roupas de proteção para explorar o planeta encontrado. Falhas que tornam-se um ponto de reflexão e lembra um pouco a Teoria do Queijo Suiço de James Reason (1990) que afirma: 

"Para que um acidente ocorra é preciso que uma falha consiga ultrapassar todas as barreiras de um determinado sistema."

E é justamente o que acontece com a tripulação de Covenant, principalmente pelo erros terem sido negligenciados inicialmente pelo capitão Christopher.


Backstage - Ridley Scott e Katherine Waterston
(Ridlley Scott e Katherine Waterston - Backstage | Alien:Covenant)


O diálogo entre os androides David e Walter. Apesar de várias críticas na internet alegando o uso de filosofia barata e a cena da flauta ser desnecessária, a cena tinha um propósito: mostrar ao público que apesar da matriz de fabricação ser a mesma, ambos eram diferentes. Enquanto David foi projetado para ser independente  e semelhante a um ser humano, Walter foi projetado para ser submisso e seguir as ordens. A conversa entre os dois foi a estratégia que David utilizou para avaliar as limitações de seu sósia.

E após essa análise detalhada, concluímos que Ridley Scott está trabalhando em algo além que estamos acostumados a ver dentro do universo Alien. Assim como em Prometheus, titio Scott inseriu elementos que provoque a interpretação e reflexão do espectador  em torno de questões científicas, filosóficas e, até mesmo, religiosas.


Backstage - Ridley Scott conversando com a equipe que interpreta os tripulantes | Blog #tas
(Passagem de roteiro com Ridley Scott | Alien: Covenant)


Sendo assim, Alien: Covenant é uma produção que precisa ser vista com a mente aberta e fora da caixa. E se você ainda não viu Alien: Covenant recomendo que assista antes Prometheus e Alien: o 8° passageiro. Caso já tenha visto, reveja-os e você perceberá como tudo está conectado.

Agora só nos resta aguardar a continuação Alien: Awekening que continuará sendo uma prequela de Alien: o 8° Passageiro e vamos ver como será esse desfecho.


Capa do filme - Alien: Covenant | blog #tas


Ficha Técnica:


Título: Alien: Covenant
Direção: Ridley Scott
Elenco: Michael Fassbender, Katherine Waterston e outros
País: EUA
Ano: 2017

O filme levou:
O filme levou 4 medalhas #tas
(4/5 medalhas #tas)


Antes de finalizar tenho que dizer que foi muito divertido fazer essa análise de mais um filme dentro do universo Alien. Agora estou curioso para saber  o que você identificou e se houve algo que deixei de mencionar. Deixe seu comentário.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus parentes e amigos e ajude a aumentar o debate em torno de Alien: Covenant.

Até o próximo post!



4 comentários:

  1. Perfeita sua análise, tudo e mais um pouco do que eu achei/percebi nesse filme. A meu ver, muito bem ressaltada a cena da flauta, que retrata bem o embate entre duas "personalidades" conflitantes. Parabéns pela análise!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cena da flauta é uma peça chave para o entendimento aprofundado do perfil de David. Ele é um observador que utiliza todos seus conhecimentos implantados para manipular os seres humanos, assim como o constante uso de palavras persuasivas. Alien: Covenant realmente é um daqueles filmes que se descobre um novo elemento, para reflexão e análise, quando é visto novamente. Adorei seu comentário e fico feliz que tenha gostado da análise. Continue compartilhando suas idéias porque ainda há muito o que se explorar nesse universo Alien. Muito obrigado e um forte abraço.

      Excluir
  2. Boa noite, Dandy Souza!
    Adorei sua análise, mas, seguindo seu incentivo, vou mencionar alguns fatos curiosos que você deixou de mencionar, que pesquisei e ninguém mencionou.
    1) O código de segurança 31564-F
    No começo do filme, Walter usa o aludido código antes de retirar 01 (um) embrião de seu local de conservação, acondicionando-o em um frasco, aparentemente de descarte.
    No final do filme, David utiliza o mesmo código para ocultar todo o evento ocorrido no "planeta número 4".
    2) a retirada do embrião
    Walter retira 01 (um) embrião de um local de conservação, acondicionando-o em um frasco. Por qual motivo ele adota essa conduta?
    3)A explosão de neutrinos ou explosão estelar
    A explosão de neutrinos demonstra ser o motivo "aparente" do acidente que provoca a reanimação da tripulação. Walter não demonstra pressa para tentar resolver o problema e ordena a reanimação da tripulação. Quando comentaram sobre o ocorrido, Walter foi defensivo ao extremo ao comentar que foi "uma onda de choque vinda de uma explosão estelar próxima. As células estavam recarregando e absorvemos todo o impacto. (...) foi um evento casual específico (...) é impossível detectar explosões estelares espontâneas, tais explosões são detectadas quando já é muito tarde”. Tal evento deixam algumas perguntas: A explosão poderia ser detectada com antecedência? Walter já sabia que esse evento iria ocorrer e iniciou o recarregamento da nave propositalmente? Tal evento já havia sido programado pela Weyland, como ocorreu em outros filmes da franquia, em especial Alien, o 8º passageiro e Aliens, o resgate?
    4) Walter ou David?
    Walter é substituído pelo David disfarçado de Walter ou ocorre uma transferência de IA de David para o Walter? Confesso que isso me deixou em dúvida.
    5) Egg
    Existiu uma rainha alien no filme (mesmo que de forma implícita), já que os famigerados ovos alien estão presentes? Se sim, foi gerada através de um clone da Elizabeth Shaw (pois a Elizabeth Shaw que aparece no filme tem a aparência de clone, como os clones da Ten. Ripley de Alien Ressurreição)? Se não, os embriões da rainha estavam estocados na nave dos engenheiros (já que a rainha apareceu nas gravuras em Prometheus)?
    5) código de segurança David 73694-B
    “David”, no final do filme, no interior da nave Covenant, utiliza o código de segurança David 73694-B, sendo prontamente recepcionado pela “mãe”, IA da Covenant. Tal fato levanta muitas questões: Como um sintético ultrapassado como o David, conforme comentários de Walter, possui códigos de segurança de uma nave, que aparentemente, foi construída após seu desaparecimento? David tinha contato com a Weyland? Todo evento do filme foi programado pela Weyland? David conhecia a Covenant e seu trajeto? Como “David” sabia o exato local onde Walter retirou o embrião no começo do filme, colocando os embriões alien no mesmo local (segunda gaveta de baixo para cima)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luis Aquino. Tudo bem com você? Eu gostei demais de seu comentário e fiquei feliz por você ter um compartilhado esse texto bastante rico em detalhes. Você abordou um ponto muito interessante: A substituição de Walter por David.

      A sua informação do uso do código 31564-F por Walter e David no início e no final do filme, respectivamente, leva a concluir que houve uma substituição de IA. E ela ainda é reforçada quando você informa que que a nave "Mãe" recebe os comandos os comandos de David, uma vez que ele é um androide ultrapassado - teoricamente.

      Outro ponto muito importante que você abordou foi a questão da "rainha alien". Tem uma teoria, que eu considero mais coerente, que ela estava presente no filme, porém ela não foi apresentada. E se não me falha a memória, David chega a comentar que ele deu continuidade com os estudos dos "Engenheiros" do aperfeiçoamento do alien.
      Porém conforme você mencionou, ficou uma ponta solta que só temos duas esperanças: aguardar a versão do diretor de covenant, para ver se há algum material extra, ou torcer que eles respondam isso em Alien:Awekning - além de rezarmos para darem continuidade, uma vez que a Fox anunciou que iria repensar sobre as sequências de covenant.

      Vamos aguarda e ver o que nos espera. Muito obrigado por seu comentário e continue compartilhando com o blog as teorias e observações do universo Alien.

      Um grande Abraço.

      Excluir

Tecnologia do Blogger.