Amityville : O Despertar (Amityville : Awakening, 2017) | Review | Blog #tas

Amityville : O Despertar (Amityville : Awakening, 2017) | Review | Blog #tas

"Amityville: O Despertar" traz Bella Thorne vivendo uma final girl sob o teto de uma casa mal-assombrada. Será que esta antiga fórmula funciona nos dias de hoje? Descubra agora.

E mais um filme dentro do Universo de Amytiville chega às telonas, junto com um questionamento: o que explorar de um tema tão batido?

Acredite, Amityville: O Despertar possui uma premissa até que interessante, porém  apresenta dificuldades em executá-las, principalmente quando o foco é apresentar uma sequência de sustos - perdendo a oportunidade de desenvolver uma trama envolvente. E se tratando de filmes de terror, vale informar que existem regras que permitem que fórmulas antigas, se tornem algo  marcante  para o público.

Como? É sobre isso que vamos conversar. #PartiuReview


#Sinopse

De início é apresentada uma espécie de introdução sobre o caso real do massacre da família Defoe, cometida por Richard “Butch” Júnior, o filho mais velho da família - com imagens dos noticiários da década de 70. Houve aqui, uma tentativa de ambientação do Horror em Amityville. Porém tivemos fatos apresentados de forma aleatória, tornando-se um elemento descartável e superficial - comprometendo desde início seu enredo.

Em seguida acompanhamos a mudança de  Belle (Bella Thorne) com sua família: a mãe Joan (Jennifer Jason Leigh), a irmã caçula Juliet (Mckenna Grace) e o irmão gêmeo James (Cameron Monoghan) - que está em estado vegetativo. Belle não tem conhecimento que o novo lar foi palco de um dos maiores crimes que chocou os EUA. O desconhecimento parece estranho, mas até que faz sentindo, uma vez que os eventos ocorreram há mais de 40 anos, e a protagonista é uma adolescente com a atenção voltada para outros assuntos - como o drama de seu irmão.

A garota irá descobrir o histórico tenebroso da casa, quando um de seus colegas de classe apresenta alguns materiais cinematográficos e bibliográficos, que definem o local como mal assombrado. De início Belle não acredita, mas conforme os eventos estranhos vão acontecendo, ela resolve aprofundar sobre o assunto e desvendar o perigo que todos estão correndo. Sendo assim, a dinâmica do filme passa a ser trabalhada da seguinte forma: de dia ocorrem as descobertas, e de noite os fenômenos sobrenaturais - que tá mais para sustos do que fenômenos.


#Impressões

O enredo até que possui uma premissa interessante - ao utilizar elementos dramáticos e sobrenaturais, mas perde seu valor ao carregá-lo de jumpscare. Nem mesmo as apresentações de filmes e livros sobre o caso de Amityville, No decorrer da história, foram bem desenvolvidos ao ponto de transformá-los em easter eggs memoráveis. Como mencionei no início deste post, existem regras presentes em filmes de terror que são de extrema importância serem seguidas. Caso contrário, a experiência do público será afetada de forma negativa, desfazendo todo o potencial de uma história - jogando todo o trabalho por terra.


Para compreender melhor os deslizes de Amityville: O Despertar, vamos analisá-lo a partir das três regras básicas dos filmes de terror:

1-Empatia com os Personagens: é muito importante que o público crie uma conexão com os personagens, porque será a partir dela que a história será vivenciada e não apenas apreciada. Tivemos aqui quatro perfis potencialmente envolventes: o irmão em estado vegetativo, a criança que presencia eventos sobrenaturais, a mãe inconstante e a protagonista desconfiada. Seriam perfeitos, se não fossem apresentados de forma rasa - resultando no foco para o desfecho da história, e não pelos personagens.

2- O Monstro (ou Mal): é de extrema importância que o mal cause um desconforto e trabalhe o sentido do espectador, causando o medo. Infelizmente não tivemos essa regra bem trabalhada aqui. Houve uma tentativa em trabalhar um clima sobrenatural baseado em jumpscare, transformando a história em uma experiência descartável.

3-A Narrativa: a forma como o diretor conta uma história, é algo que precisa ser desenvolvido de forma criteriosa. A partir do momento que o público está ciente da existência do mal (do problema), é necessário que seja apresentado o seu respectivo alívio, para que o enredo faça sentido - a batalha entre a vítima e o vilão. Caso isso não ocorra, a história perde seu ritmo e os fatos tornam-se irrelevantes. E é justamente isso que acontece aqui, a tensão é trabalhada em várias camadas, seguida de rápidos sustos, e em seguida apresenta um desfecho de forma simples, e não comovente.


É a partir da análise destas regras do terror, percebemos que Amityville: O Despertar poderia ter sido um terror interessante - se os três elementos fossem bem trabalhados. Infelizmente não houve uma sincronia entre o drama familiar e o sobrenatural. Os personagens que tinham grande potencial, James (o irmão doente) e Juliet (caçula), não foram bem trabalhados para despertar uma comoção do público. Sem contar que não há uma conexão (entrosamento) entre o núcleo familiar, e sim uma relação excessivamente técnica. Ficou perceptível que o elenco estava apenas cumprindo ordens que refletiram significativamente em seu desempenho na trama.


Amityville: O Despertar é um daqueles filmes que perdeu seu propósito principal: criar um ambiente fictício a partir de eventos reais, trabalhar elementos aprofundados e causar medo - o que é uma pena. É bem provável que sua motivação em assisti-lo venha do interesse, ou admiração, de alguns dos atores presentes na trama como: Bella Thorne, Jennifer Jason Leigh, Jennifer Morrisson e Cameron Monoghan. Que apesar dos deslizes presentes na narrativa, o elenco fez sua parte em sustentar o universo proposto de Amityville. Porém algo você pode ter certeza que terá neste filme: que algumas gargalhadas você dará.

Agora me conte como foi sua experiência ao assistir Amityville: O Despertar. O que você achou? Deixe seu comentário e compartilhe com a gente suas impressões. Fique a vontade, o espaço é nosso. Se você gostou deste artigo compartilhe com seus amigos e aumente o debate sobre o filme.

Até o próximo post ;)


Ficha Técnica:

Título Original: Amityville: Awakening
Direção: Franck Khalfoun
Elenco: Bella Thorne, Jennifer Jason Leigh, Jennifer Morrison, Cameron Monoghan, Mckenna Grace, entre outros.
País: EUA
Gênero: Terror
Ano: 2017

O Filme levou:
(2/5 medalhas #tas)


Trailer:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.