The Sinner – 1ª Temporada | Qual o Limite do Ser Humano? | Blog #tas



The Sinner chega bagunçando sua cabeça, para comprovar como nossa mente é uma caixinha de surpresa, e do que o ser humano é capaz. Descubra.


Poucas produções conseguem trabalhar de forma dinâmica, elementos interpretativos. E The Sinner está nesse rol. Trazendo Jessica Biel como protagonista, e produtora executiva, a série vai trazer uma história carregada de sensibilidade, mistério, exploração do psicológico da mente humana e muitas (eu disse muitas) reflexões. O título faz jus com o enredo, principalmente ao analisar as camadas de seus principais personagens. Cada um com suas características peculiares e conflitos que fazem com que o público crie um vínculo, e desperte seu altruísmo.

No início a história pode até bagunçar sua mente, mas ao finalizar seus oito episódios, você terá um rico material analítico que irá refletir por horas. Você deve estar se perguntando: “O que de extraordinário tem essa série?”. Vem comigo e descubra agora. #PartiuReview



#A História

Cora Tannetti (JessiCa Biel) é uma jovem mulher, bem casada e que tem uma vida tranquila. Já nos primeiros minutos já temos a noção de seus grau de reponsabilidade, no negócio da família de seu marido Mason Tanneti (Christopher Abbot). O casal tem um filho pequeno e, assim como a maioria das famílias, sua sogra gosta de dar as coordenadas na vida do casal – até mesmo na educação do neto. Apesar desta vida pacata, descobrimos que existe algo de errado em Cora, há um certo desconforto, principalmente quando seu marido quer ter relações íntimas. Apesar dele ser um homem compreensível e respeitador, Cora se vê na obrigação como esposa em satisfazê-lo.

Um belo dia o casal resolve ir com seu filho à praia, para terem um momento familiar. Apesar de Cora está focando sua atenção em seu filho, seu desconforto cresce cada vez mais. A situação torna-se preocupante quando ao nadar sozinha, ela ultrapassa os limites da praia, e tenta se afogar – porém ela não dá continuidade. Ao retornar junto de seu marido e filho, Cora se sente mais incomodada com um grupo de jovens estão logo a frente deles, ao ponto de seu humor mudar radicalmente. Eles estão em uma tremenda algazarra, e com umas brincadeiras, um tanto quanto, calientes.

Em um certo momento, os jovens colocam o som alto e suas brincadeiras ficam mais quentes. Supreendentemente Cora tem um surto e começa a gritar com o rapaz e o esfaqueia várias vezes no peito e no pescoço. Esse ato deixou todos atordoados e sem entender o que levou a jovem a cometer esse crime. Ao ser notificado sobre o ocorrido o Detetive Harry Ambrose (Bill Pullman) inicia as investigações. Porém o caso chama sua atenção porque Cora alega não saber o que a levou a cometer crime, e afirma que precisa pagar pelo que fez e que ela não era digna de defesa. Com isso, o detive vai muito além de suas investigações para desvendar o que há por trás das memórias desaparecidas de Cora.



#Impressões

Conforme cometei no início, a série sabe conduzir com maestria os elementos simples dentro de um mistério. Além de uma história bem contada, provou-se que é possível entregar uma produção rica e sem enrolações. Sua narrativa é trabalhada dentro da perspectiva de Cora e do detetive Harry, na descoberta do que realmente aconteceu? Por que um período de vida de Cora é um mistério? Ou por que ela se auto condena, mas não sabe os motivos dela estar se autopunindo? Dentro dessa dinâmica, tivemos alguns destaques que não podiam deixar de ser mencionados. Confira abaixo:

01-Plots Twits

O carro chefe de The Sinner, são os seus Plots Twist. Em cada episódio é entregue uma peça do quebra-cabeça, das memórias desaparecidas de Cora, porém uma nova surpresa surge em cada um de seus minutos finais – fazendo com que você jogue por terra, todas suas teorias sobre o caso. Apesar do enredo ser detalhista, ele é bem dinâmico e de fácil absorção – tornando a história bem atrativa.



02-Os Personagens

Outro ponto positivo da série, são os personagens. Houve um criterioso trabalho em aprofundar os perfis psicológicos de cada um deles. Inclusive a protagonista Cora, causa uma forte conexão com o público, ao ponto de tornar-se um estudo de caso. Aqui suas camadas são desvendadas em três fases: infância, adolescência e adulta. Nelas o perfil foi muito bem trabalhado pelas três atrizes, ao ponto de despertar um altruísmo no espectador. Outro ponto interessante são as reflexões sobre pecado e o pecador e o que impulsionou a cometê-los? E quem são seus verdadeiros responsáveis?

Falando em responsabilidades, de forma ampla, a série aborda a forte contribuição comportamental dos pais, para que os filhos cometam seus pecados. De forma reflexiva, essa abordagem impulsiona debates bem interessantes sobre crenças limitantes, medos, pressões, relacionamentos abusivos, condutas imorais, entre outras. Mostrando como isso reflete diretamente na vida dos filhos e que, muitas das vezes, eles percorrem um caminho tortuoso, para aprenderem a viver. A frase que Cora diz à sua mãe resume muito bem isso:

Pode ter certeza que sou mais livre do que quando estava com você.

03-Qual o Limite do Ser Humano?

Aqui os limites do ser humano foram trabalhados através dos traumas e medo. Traumas porque analisamos a bagunça que eles causam na mente humana, de bloqueios “aparentemente inexplicáveis”, à estigmas nas personalidades - de forma discreta, o enredo mostra como um interceptação é extremamente necessária para evitar maiores transtornos. E medos porque mostra do que o ser humano é capaz para manter a integridade física e moral intacta. Confesso que chega a ser assustador, quando analisamos o limites ultrapassados.


The Sinner é uma série que apresenta uma história bem desenvolvida, surpreendente e carregada de sensibilidade. Possui um enredo forte e polêmico, sem ser apelativo. É muito importante você assisti-la de mente aberta e livre de qualquer preconceito, porque tudo que é apresentado, deve ser analisado como um estudo de caso. Mais uma vez Jessica Biel mergulha profundamente em seu personagem, o que é uma de suas marcas registradas.

Falo isso com precisão porque acompanho seu trabalho desde remake de O Massacre da Serra Elétrica (2003), o qual ela entregou uma Final Girl bem emotiva e com bastante veracidade em seu desespero. Já aqui na série ela repete a faceta emotiva, com uma atuação bem mais madura e carregada de sensibilidade. Não podemos esquecer da atuação de Bill Pullman, que está ótima. Aqui ele apresenta um profissional que apesar de seus conflitos pessoais, se agarra com unhas e dentes ao seu propósito, desvendar os seus casos.



Então se você ainda não assistiu The Sinner, assista. Depois volte aqui para compartilhar sua experiência com a série. Deixe seu comentário. Se você gostou deste post compartilhe com seus amigos e divulgue a série, aumente sua lista de séries profundas.

Até a próximo post ;)



Ficha Técnica:

Título Original: The Sinner
Criação: Dereck Simons
Elenco: Jessica Biel, Bill Pullman, Christopher Abbott, Abby Miller, Dohn Norwood, Kathryn Erbe, Nadia Alexander, entre outros.
Episódios: 08
Canal de Tv: Netflix
País: EUA
Ano: 2017

A Série Levou:
(4/5 medalhas #tas)

Trailer:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.